quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Meu nome não é Johnny

É João Guilherme Estrella
"Não sou bandido
Vendia droga pra comprar droga
Não sei bem o que é certo e errado
Não acumulei dinheiro
O único imóvel da minha família
Está à venda pra pagar meu advogado
Meu carro é um Passat velho
Não queria que a minha mãe estivesse ouvindo isso."

Filmaço!
Saí do cinema querendo que a confiança na recuperação de João Estrella, presente na sentença apresentada pela juíza que julgou seu caso, teria sido também aplicada a um outro jovem,
Que também não se chamaria Johnny
Não seria bandido
Que vendesse droga pra comprar droga, tênis e bermuda
Sem conhecer bem o que é família
Negro
Sem advogado
Sem carro
Sem mãe para ouvi-lo.

4 comentários:

gileno disse...

Você não acha que está querendo demais não?
Brincadeira... também gostei muito do filme!
Apesar de reconhecer a questão que você coloca, percebi um olhar mais tolerante sobre uma questão deveras familiar!
Aliás, parabéns pelo blog! Muito bacana...
Abração, meu caro amigo!

Aucilene disse...

Passei pra uma visita. Voltarei mais vezes. Eu é que ando preguiçoosaaaaa!! rs! Tadinho do meu blog... tá lá. jogadinho às traças. È que a barra anda pesada. Mas vamo que vamo!

bjins

Flávio Mussa Tavares disse...

Caro Rodrigo, se voce não me conhece sou irmão do Celso. Parabéns pela originalidade do blog e da segurança com que trata de temas as vezes um pouco difíceis de abordar, como os catões corporativos e o "Estrela".
Faço votos que você seja muito visitado e comentado.
Abraço,
Flávio

Rodrigo Rosselini disse...

Obrigado ao Flávio. Honrado por sua visita.