segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Lenine

O sol era forte quando Guila, Pantico Rocha, Jr. Tostoi e Lenine passavam o som no palco do Lagamar, no Farol de São Thomé. Três músicas: Martelo Bigorna, que abre o CD "Labiata" (2008), de 2008; Lá e Lô, do disco "Olho de Peixe" (1992), trabalho em parceria com o percussionista Marcos Suzano; E "Magra", também do novo disco.
Após a passagem de som Lenine recebeu alguns fãs. A prefeita Rosinha também visitou o camarim do cantor. Às 19h, com o sol se pondo, proporcionando um belo visual no lagamar, começou o show. O set list foi o seguinte:
01. Martelo Bigorna
02. Lá e Lô
03. Excesso Exceto
04. Magra
05. Samba e Leveza
06. A Mancha
07. Lá Vem a Cidade
08. É Fogo
09. Todas Elas Juntas Num Só Ser
10. É o que me Interessa
11. Ciranda praieira
12. Lavadeira do Rio
13. Do It
14. O Céu é Muito
15. Alzira e a Torre.

A grande maioria do repertório está no disco Labiata, pouco conhecido da maioria do público campista, porém isso não foi obstáculo para que o espetáculo fosse maravilhoso. A versatilidade da banda faz o show ser grandioso. Pantico Rocha com suas batidas precisas, compassos quebrados, e ainda fazendo a segunda voz; Guila e seus graves compenetrados; Júnior Tostoi e suas programações, abusando dos samplers e dos delays; e o Lenine, cantando tão bem como sempre.

Vídeo da passagem de som: Martelo Bigorna

Foi a quarta apresentação de Lenine em Campos. A primeira delas foi uma participação especial no show do flautista Carlos Malta, em 2002, no projeto "Jardim in Concert", cantando "Sebastiana" e o "Canto da Ema", em homenagem a Jackson do Pandeiro; no ano seguinte, dentro do projeto "Viva Melhor, Viva Música", que acontecia nas manhãs de domingo no jardim São Benedito, fez o show da turnê "Na Pressão"; Em janeiro de 2006, um show no Lagamar, assim como esse de ontem, na turnê do "In Cité".
Em todos eles foi grande a empatia entre o público campista e o artista, que mesmo apressado, não se incomoda em receber os fãs no final do show.
Lenine e eu, após o show

5 comentários:

David Menacho - Matias Larrain disse...

Querido Rodrigo, la verdad es que me quedé perplejo mirando ese pedacito del show de Lenine (genio!)....miré tu blog y lei tu nota sobre el concierto y debo admitir que te super envidie (jajaja) por haber estado ahi en el show y luego junto al maestro Lenine...y en la playa de rio!!!!!!!!
Quise dejarte este comentario en tu blog pero no estaba habilitada esa opción.
Un abrazo
David
La Plata, Buenos Aires

David Menacho - Matias Larrain disse...

Querido Rodrigo, la verdad es que me quedé perplejo mirando ese pedacito del show de Lenine (genio!)....miré tu blog y lei tu nota sobre el concierto y debo admitir que te super envidie (jajaja) por haber estado ahi en el show y luego junto al maestro Lenine...y en la playa de rio!!!!!!!!
Quise dejarte este comentario en tu blog pero no estaba habilitada esa opción.
Un abrazo
David
La Plata, Buenos Aires

David Menacho - Matias Larrain disse...

Querido Rodrigo, la verdad es que me quedé perplejo mirando ese pedacito del show de Lenine (genio!)....miré tu blog y lei tu nota sobre el concierto y debo admitir que te super envidie (jajaja) por haber estado ahi en el show y luego junto al maestro Lenine...y en la playa de rio!!!!!!!!
Quise dejarte este comentario en tu blog pero no estaba habilitada esa opción.
Un abrazo
David
La Plata, Buenos Aires

David Menacho - Matias Larrain disse...

Ahora si! Perdón, el tonto fui yo...Nuevamente gracias por hacer llegar a la gente que está lejos al menos un pedacito de la música de este genio brasilero...
Leyendo tu perfil veo que tenemos algunas cosas en común, Rodrigo...nos gusta Lenine y somos profesores! jajaja...impresionante
Desde Buenos Aires....un abrazo fuerte

David

Anônimo disse...

Meu amigo
Lenine é a grande modernidade da música brasileira.
Seu som é universal, e seus shows no exterior revelam essa verdade.
Ele se mescla a esse presente e faz de sua música uma voz para a latinidade, para a abrangência do que se espera do agora.
Seus conterrâneos, alguns , o acham desmerecedor de tamanha adjetivação. Talvez, pelo fato de ter deixado a sua terra, e vir para o Rio, e nele permanecer e ser aceito mundialmente.
Considero Lenine uma grande alma, ajudando as Esferas Superiores naquilo que conhecemos como AMOR UNIVERSAL.
Ele é como MIlton Nascimento, aberto para a expansão , para o que ainda vai nascer, mas está sendo cultivado e semeado com bastante carinho.
E com certeza colhem frutos especiais e distribuem sua colheita com o mundo.
Que felicidade saber que, além de tudo, ele (eles) é (são) brasileiro(s).
Um grande abraço.