sexta-feira, 20 de março de 2009

Tradição

Por volta das 13h de hoje, liceístas organizavam manifestação em frente a escola (exatamente onde se encontra a pequena carroagem na foto ao lado, do séc. XIX). Motivo? O uniforme. Nos anos 90 houve algo parecido. O governo do Estado decidiu padronizar os uniformes da rede estadual, independente das escolas. A uniformização do uniforme, por mais redundante que pareça, de certa forma contribuiu para a perda da identidade de algumas escolas, e para a rotulação do aluno, que deixava de ser desta ou daquela escola, e passaria a ser identificado como aluno da rede pública de ensino.
Na época os estudantes do Liceu tinham acabado de alcançar uma conquista: o uniforme branco com calça jeans para o 3º. ano do Ensino Médio, que tinha um quê de hierárquico, tudo bem, mas também o significado do fechamento de um ciclo, um sabor de despedida, e um estímulo para os demais, que permaneceram com seus cinzas tradicionais que, independente de serem bonitos ou não, eram defendidos com orgulho por seus alunos, pois afirmava a identidade da escola centenária.
Nos anos 90 nós vencemos, mantivemos o nosso uniforme, assim como o IEPAM e o Nilo Peçanha, muito por conta da articulação de seus grêmios estudantis.

Hoje, mais uma vez a questão retorna. Um novo uniforme foi imposto à toda a rede, e mais uma vez os estudantes protestaram. Estenderam os uniformes no chão, em frente à escola, e gritavam: "Liceu é tradição, não é humilhação". Eu passava pela frente da escola e inevitavelmente, como liceísta, me misturei aos estudantes. Muito válida a sua manifestação, sua luta pela manutenção da identidade.
Porém, esse discurso da tradição contra a humilhação me soou um tanto perigosa: qual o significado desta tradição? Se for a idéia de identidade, tudo bem; mas se for a manutenção de um caráter elitista de segregação, onde o Liceu não pode se comparar às outras escolas da rede, acho complicado.
Espero que a luta se estenda para as outras escolas, e que seja possível acabar com a uniformização do uniforme. Que este seja um símbolo de distinção e identidade para todas as escolas, e não um rótulo para a rede pública de ensino.

3 comentários:

Maycon Bezerra de Almeida disse...

Valeu Rodrigo, neste momento em que o governo Cabral tenta padronizar na precarização a rede estadual de educação o protestoe dos alunos do Liceu (onde tenho o orgulho de trabalhar) é um sinal promissor de inconformismo e disposição da juventude. Um abraço!

thyago disse...

o liceu com 128 anos de tradição não pode ser tratado como uma escola qualquer. o histórico do liceu nenhuma escola tem:
O PRESIDENTE NILO PESSANHA FOI
ALUNO DO LICEU

O EX-GOVERNADOR ANTONY GAROTINHO FOI ALUNO DO LICEU

A EX- GOVERNADORA E ATUAL PREFEITA DE CAMPOS FOI ALUNA LICEISTA

*TADAS ESSAS PERSONALIDADES JÁ USARAM O TRADICIONAL UNIFORME DO LICEU

NÃO PODEM ACABAR COM A NOSSA IDENTIDADE COMO ALUNOS LICEÍSTAS!
ESSE É NOSSO ORGULHO ESSA É NOSSA TRADIÇÃO!

18:13

Maria Cecília disse...

Fui aluna di Liceu e ainda me considero liceísta, agora dizer que a tradição da escola vem da formação de uma elite política não me parece justificativa de tradição.Não podemos considerar que o ex-governador Garotinho e esposa qualifiquem qualquer escola.
E hoje em dia os alunos do Liceu devem tentar manter a identidade agora não fazem parte de nenhuma elite, anão ser que seja falida.